A onda de cortes promovida pelo SBT chegou ao humorístico A Praça É Nossa, uma das maiores audiências da emissora. Moacyr Franco, que estava no programa havia 12 anos, foi um dos demitidos.

Em sua segunda passagem pelo SBT, Moacry ficou 20 anos.  Na emissora de Silvio Santos ele havia apresentado o A Mulher É um Show, em 1986, e retornou à casa em 1997 para apresentar o Concurso de Paródias (1997). Atuou nos seriados ”Ô… Coitado” (1997-1999) – com Gorete Milagres – e ”Meu Cunhado” (2004-2006) – com Guilhermina Guinle e Ronald Golias, e assumiu a função de Diretor de Criação da emissora, em 1998. Desde 2005 ele estava em A Praça É Nossa, interpretando o caipira Jeca Gay.

Carlos Alberto de Nóbrega, grande amigo do Moacry declarou que ele não foi o responsável pela saída do artista.

“Somos amigos há 62 anos. Quando soube que ele seria cortado, foi um choque. Eu disse à direção da casa que não conseguiria dar a notícia, porque iria começar a chorar na hora. Ele é um dos artistas mais injustiçados no nosso País. Ele é um gênio, tem uma versatilidade como poucos. É um ótimo ator, humorista, escreve muito bem, é um poeta, canta muito bem… Era um absurdo ele ter somente 5 minutos de participação na Praça. Mas a empresa não é minha, e a decisão também não foi minha. Estou muito triste. Ainda não tive coragem de falar com ele.”, declarou o apresentador ao Estado de São Paulo.

Outro humorista que foi demitido é o Paulo Pioli, que interpretava o personagem Caipira, dono do bordão “Êta fuminho bão”. Ele estava no programa havia mais de dez anos.

Me siga no Twitter: @beraldotv  Me siga no Instagram: @beraldotv  Curta uma página do Portal do Beraldo no Facebook, clique aqui

Guilherme Beraldo
Jornalista, crítico de TV e ator. Já participei dos seguintes programas: A Tarde é Sua e Manhã Maior na RedeTV, na Gazeta do "Mulheres", Versátil e Atual e Conexão com Zé Américo na CNT. Apaixonado por programas de auditório e musicais.