A Band comemora em 2018 históricos 30 anos em debates a cargos públicos  do executivo brasileiro.

A qualidade na produção da apresentação do debate a Presidência da República, exibida na última quinta-feira (9), deixou mais uma vez em evidência que isso é uma das coisas que a emissora sabe fazer de melhor. Sem contar o esporte, claro.

O diretor de jornalismo Fernando Mitre cuida de cada detalhe, já meses antes. Aliás, ele é responsável pelo grande engajamento dos profissionais da Band, tanto na TV quanto no rádio, que demonstram o tamanho do envolvimento na promoção do encontro.

Mais do que nunca, em 2018, ficou evidente que a TV aberta é apenas uma parte da gigantesca estrutura montada pelo jornalismo da Band. Em parceria com o Google, o debate foi ao ar também pelo Youtube.

Paralelamente, dados estatísticos mostravam o que mais é pesquisado no campo da política por estado brasileiro. Nunca uma disputa entre presidenciáveis disponibilizou tantas informações ao eleitor brasileiro.

Como grande evento televisivo, a Band disponibiliza imagens com tomada aérea, focos de luz, estende, literalmente, tapete aos políticos e faz o acompanhamento da chegada e saída de cada candidato à emissora. A tradicional vinheta dá o tom musical e chama a atenção de quem confere o o embate dos candidatos.

E o mais bacana: toda a estrutura é mostrada sem nenhuma vergonha de fazer TV, no melhor estilo “show” que o veículo precisa. Enquanto outras emissoras fazem os seus debates meio que encaixando repentinamente o assunto da maneira viável à sua programação, a Band faz do encontro um evento pomposo. E dá gosto para quem assiste.

No ar das 22h até os primeiros minutos da sexta-feira (10), as imagens da Band também foram compartilhadas nas redes sociais e a #DebateBand superou a marca de 1 milhão de impressões no Twitter.

Verdade que nos púlpitos de disputa não vimos um debate quente, similar ao de 2014. Mas nem por isso deixou de fazer barulho e movimentar o público brasileiro. Pena, para a Band, que debates só ocorram de dois em dois anos. Então… que venha o segundo turno!

Eduardo Moura
Eduardo Moura é jornalista, correspondente do Rio de Janeiro, e autor do blog AudienciaCarioca. Já atuou no portal Rede Contínua e nas rádios Absoluta e Continental. E-mail: audienciacarioca@gmail.com