Cafezinho no meio da novela? Banheiro antes do comercial? Dar um pequeno cochilo? Pois bem, quem respondeu a sim ao menos uma das três perguntas pode ter perdido momentos-chaves da trama de João Emanuel Carneiro.

Bem acelerada, o autor não floreou e disse ao que veio: mostrou o retumbante fracasso de Beto (Emílio Dantas), o clamor público por sua falsa morte e a indução da dupla de vilões formada por seu irmão Remy (Vladimir Brictha) e sua então namorada Karola (Débora Secco) para que ele sumisse do mapa e salvasse a família da crise financeira. A morte de Beto Falcão rendeu muita grana.

Rendeu também uma quantidade de cenas todas encadeadas. Em um capítulo, além de todo efeito citado acima, Beto também virou Miguel, foi morar em Boiporã, conheceu Luiza (Giovanna Antonelli), se encantou pelos dois filhos órfãos da bela e ainda começou a namorá-la. Quando o telespectador achava que muita coisa já tinha acontecido, ainda deu tempo para engravidá-la e ver o romance ameaçado pela ex-namorada vigarista. Ufa! Que vida agitada do protagonista!

Assunto não faltou na estreia de ‘Segundo Sol’, que conta com um elenco de ponta. Laureta (Adriana Esteves) ainda não deu as cartas no jogo e promete fazer uma vilã que deverá prender o público.

E este deverá ser o fio condutor da trama daqui em diante: Laureta vai infernizar a vida de Luiza.

Vale destacar: Emílio Dantas encarnou e recebeu uma caracterização perfeita de cantor baiano, tanto que ficou muito parecido com o cantor Saulo.

A tentativa de lançar o galã, recém utilizado como vilão em ‘A Força do Querer’, é a mostra de como a Globo tem se virado para conseguir atores da nova geração, ditos como mocinhos. A safra tem disponibilizado outros perfis, digamos, mais ecléticos.

Imagem: Divulgação