Publicidade

Bastidores

NHK revela que jornalista da emissora morreu em 2013 por excesso de trabalho

em

Nesta semana em uma entrevista ao jornal Japan Times, a direção da principal emissora japonesa NHK, revelou ao tabloid que a jornalista Miwa Sado que integrava a equipe de repórteres da emissora, morreu ao final de 2013 por excesso de trabalho.

A revelação da causa da morte de Miwa pegou muitos de surpresa, no qual não esperavam que a morte da jornalista ainda muito jovem pudesse ser por mais de 159 seguidas de trabalho em um mês, causando uma insuficiência cardíaca, nesse período ela tirou apenas dois. O caso aconteceu em julho de 2013, mas a empresa só reconheceu que a causa da morte foi excesso de trabalho nesta semana, a pedido da família da vítima.

Com 31 anos Miwa era  repórter de política na maior emissora pública do Japão, a NHK. No mês de sua morte, ela cobriu as eleições da Assembleia Metropolitana de Tóquio e da Alta Câmara Nacional do Japão.

A NHK disse ao publico que demorou informar a real causa da morte de sua funcionaria por respeita a família.

O caso de Miwa reabre a discussão sobre como os japoneses equilibram a vida pessoal e o trabalho. Mais de 2.000 japoneses se mataram por problemas relacionados ao trabalho em março de 2016, segundo um relatório divulgado pelo governo – o documento não leva em consideração as mortes por ataques cardíacos, derrames e outras doenças que podem ser engatilhadas por excesso de tempo no trabalho.

No Japão, 22,7% das empresas admitiram que funcionários faziam mais de 80 horas extras por mês. O levantamento do governo considerou os meses de dezembro de 2015 a janeiro de 2016.

Em abril de 2015, Matsuri Takahashi, 24, tirou a própria vida por stress causado pelas longas jornadas de trabalho. No mês anterior à sua morte, ela chegou a fazer mais de 100 horas extras.

Com a repercussão do caso de Matsuri, o governo propôs que os funcionários pudessem fazer no máximo 100 horas adicionais por mês e também sanções as empresas que permitissem que o limite fosse excedido.

Igor Juan

Igor Juan

Recommended for you

Comentrios

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *